SEIS MOTIVOS PARA CONTROLAR O SEU PESO, SEGUNDO ESPECIALISTAS

     Não é preciso pensar no assunto durante o fim de semana e tomar aquela resolução de começar uma dieta na segunda-feira. Quando o assunto é obesidade e todas as complicações que surgem a partir da guerra contra a balança, vale a pena estar bem informado. Controlar o peso significa mais saúde e longevidade, beleza, bem-estar e a certeza de estar fazendo a coisa certa. Especialistas de diversas áreas da saúde comentam por que sempre é tempo de entrar no eixo.

 

     1. De acordo com o doutor Renato Neves, oftalmologista e diretor do Eye Care Hospital de Olhos, a obesidade causa impacto direto sobre a visão, podendo desencadear problemas sérios com o passar do tempo. "Estudos norte-americanos mostram que consumir carboidratos com alto índice glicêmico, ou seja, que se transformam rapidamente em açúcar, aumentam as chances de a pessoa desenvolver degeneração macular relacionada à idade, que é uma doença degenerativa da visão e uma das causas de cegueira na terceira idade". Neves diz que bolos, biscoitos, pizzas, pão branco e todos os tipos de doces têm índice glicêmico mais alto do que alimentos como arroz integral e legumes. "Além da degeneração macular, como a obesidade também acaba favorecendo o aparecimento do diabetes, há também sérias complicações nesse sentido".

     2. Pesquisadores da Universidade de Valência, na Espanha, revelaram que o endométrio – tecido que reveste a parede do útero – de mulheres com sobrepeso ou obesas costuma apresentar problemas relacionados à fertilidade. De acordo com a ginecologista Silvana Chedid, especialista em Medicina Reprodutiva, mulheres obesas têm mais dificuldade para engravidar e estão mais propensas a sofrer um aborto. "O excesso de peso tanto pode surtir efeito nos ovários, onde os óvulos são produzidos, como no endométrio, onde são depositados os óvulos fertilizados. Além disso, o excesso de peso põe em risco a saúde da mãe e do bebê, podendo favorecer o surgimento de diabetes gestacional ou mesmo hipertensão". Silvana Chedid chama atenção para vários estudos que comprovam que homens acima do peso têm espermas de pior qualidade, enfrentando dificuldades para ter filhos. "Em alguns casos, perder peso contribui para aumentar as chances de concepção. O problema se agrava quando, além de estar acima do peso, o homem tem mais de 40 anos e é fumante. Nesse ponto, a Ciência socorre, porque atualmente há métodos muito eficientes para tratar a infertilidade masculina".

     3. Jovens adultos que estão com sobrepeso ou são obesos podem estar condenados à cirurgia de quadril no futuro. Pesquisas reforçam a importância de se controlar o excesso de peso ainda na infância e adolescência, já que, na fase adulta, os riscos de sofrer de artrite severa e necessitar passar por uma cirurgia do quadril são duas ou três vezes maiores. "O impacto de ser um jovem obeso ou estar sempre com sobrepeso é muito maior sobre as articulações do quadril e joelho do que aquela pessoa que engordou depois dos 40 anos", diz o ortopedista Lafayette Lage, especialista em cirurgias de quadril e medicina esportiva.

     4. "Por uma questão cultural, o corpo 'ideal' está relacionado ao mercado de trabalho, às questões afetivas e de relacionamento. Hoje em dia, a grande maioria dos jovens não encara a obesidade do ponto de vista da saúde, mas da estética. E essa tem sido a causa de sofrimento, depressão e de comportamentos de esquiva social, que prejudicam a qualidade de vida desses jovens", diz o professor Luiz Gonzaga Leite, chefe do setor de psicologia do Hospital Santa Paula. A lipoaspiração vem ganhando força entre jovens que, insatisfeitos com o corpo, acreditam que é mais fácil passar por uma cirurgia plástica do que mudar os hábitos. "Alertar tanto as jovens quanto seus pais que a lipoaspiração é contra-indicada antes dos 18 anos é um dever profissional. Cabe ao cirurgião plástico ter uma longa e explicativa conversa sobre o procedimento antes de tomarem qualquer decisão", diz o cirurgião plástico Fabrício Torres, membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Torres teme a banalização da cirurgia plástica por parte do público jovem e afirma que todo procedimento cirúrgico, ainda que seja para eliminar gordura localizada, envolve os mesmos riscos de qualquer outra cirurgia. "Não se trata de uma decisão baseada apenas no poder aquisitivo, mas na maturidade da paciente. Além disso, há hábitos que contribuem para um melhor (ou pior) resultado. O fumo, a má alimentação e o sedentarismo ao longo da vida refletem na recuperação. Quem leva uma vida saudável certamente tem o organismo trabalhando em seu favor".

     5. Estudo americano desenvolvido na Boston University School of Medicine revela que mesmo as pequenas perdas de peso contribuem para diminuir os riscos de hipertensão, já que a obesidade é apontada como o principal fator de risco para o aumento da pressão arterial e, conseqüentemente, para as doenças do coração. "Não é necessário perder 20 quilos para sentir benefícios à saúde. Ainda assim, quanto mais acima do peso o paciente estiver, tanto mais massa extra ele terá de se livrar", diz Otávio Gebara, médico cardiologista do Instituto de Cardiologia de São Paulo. Segundo o especialista, o próprio entusiasmo da pessoa que inicia um processo de emagrecimento faz com que ela mude seu estilo de vida e passe a incorporar atividades em seu dia-a-dia que também colaboram para diminuir a incidência de hipertensão e diabetes. "O paciente que emagrece se sente mais disposto a praticar esportes, caminhadas e outras atividades que colaboram para manter o peso".

     6. Os hábitos desregrados de hoje recairão sobre a saúde amanhã, facilitando o aparecimento de doenças e favorecendo o envelhecimento. Essa é a opinião da doutora Sandra Houly, clínica geral do Hospital Santa Paula. "Você é aos 40 anos o que você cultivou aos 20. A isso se deve o aumento da obesidade, dos distúrbios do sono, das doenças do coração, renais ou hepáticas. É preciso alertar os jovens para a urgência de adotarem hábitos de vida mais saudáveis desde já". A médica propõe uma mudança radical na vida dos jovens que, hoje, não têm hora para comer e ainda se fartam de lanches, pizzas e salgadinhos em frente do computador. "É imprescindível que o jovem aprenda a comer bem. O café da manhã deve ser a principal refeição do dia. Frutas, que são ricas em nutrientes e fibras, auxiliando na digestão, não podem continuar sendo ignoradas. Praticar esportes, caminhar e procurar não virar as noites nas baladas, além de evitar o consumo elevado de álcool e tentar parar de fumar imediatamente", aconselha a doutora Sandra Houly, que teme por uma geração de jovens adultos envelhecidos precocemente e doentes.

     

     Fontes: Dr. Renato Neves, oftalmologista e diretor do Eye Care Hospital de Olhos Dra. Silvana Chedid, ginecologista especialista em Reprodução Humana e diretora da clínica Chedid Grieco Medicina Reprodutiva Dr. Lafayette Lage, ortopedista especialista em cirurgias de quadril e medicina esportiva, diretor da Clínica Lage Ortopedia de Ponta Prof. Luiz Gonzaga Leite, chefe do setor de psicologia do Hospital Santa Paula Dr. Fabrício Torres, cirurgião plástico e membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Dr. Otávio Gebara, médico cardiologista do Instituto de Cardiologia de São Paulo Dra. Sandra Houly, clínica geral do Hospital Santa Paula